top of page

ALERTA! VULCÃO CAPAZ DE GERAR TSUNAMI NO BRASIL ENTRA EM ATIVIDADE! VAI TER TSUNAMI NO BRASIL?

Atualizado: 2 de mar. de 2022

O Vulcão Cumbre Vieja tem significativa sequência de terremotos! Vamos analisar a possibilidade de um fenômeno geológico desta magnitude ocorrer aqui no Brasil. Afinal de contas, pode ocorrer um tsunami aqui no Brasil?

Um temido vulcão no Atlântico e que segundo especialistas pode provocar um grande tsunami em uma extensa área que vai do Brasil aos Estados Unidos em caso de um colapso numa grande erupção, passou a chamar atenção dos cientistas nos últimos dias por um aumento da atividade sísmica. Uma agência de monitoramento geológico das Ilhas Canárias elevou o nível de alerta de verde para amarelo, o que implica uma ação preventiva diante de um risco moderado de atividade vulcânica em Cumbre Vieja, em Las Palmas.


Antes de continuar nossa análise precisamos responder uma pergunta:


Como se formam os tsunamis?


Existem várias causas dos tsunamis, como alguns processos gerados por atividades vulcânicas e o depósito abrupto de um grande material de rochas ou gelo no mar. Mas o principal fator para a formação de tsunamis é a atividade tectônica.


Uma zona de choque ou encontro entre duas placas tectônicas é uma área geologicamente muito instável, proporcionando o surgimento de eventuais terremotos, resultantes da liberação de energia acumulada nos pontos de contato entre ambas. Quando isso ocorre no oceano, há um soerguimento das águas oceânicas que, com isso, agitam-se e são capazes de gerar fortíssimas ondas, os tsunamis.


Quanto maior a intensidade, maior tende a ser a velocidade de propagação das ondas, gerando efeitos ainda mais catastróficos nas áreas litorâneas atingidas. Além disso, quanto maior a velocidade de movimentação das placas, maiores também são os seus efeitos, o que explica, em partes, porque o Oceano Atlântico não registra tantos tremores, vulcanismos e tsunamis quanto os demais oceanos.


O nível amarelo é o segundo dos quatro existentes e quando acionado a população é orientada para que fique atenta a uma mudança na situação, além de se intensificar a vigilância e monitoramento da atividade vulcânica e sísmica.


No nível laranja, no terceiro nível, é decretado o alerta máximo para fenômenos que precedem uma erupção iminente para, no vermelho, notificar-se uma emergência de que há uma erupção em andamento.


La Palma experimentou um aumento significativo nos movimentos sísmicos desde sábado, acompanhando a tendência de alta desde 2017 e ganhou maior força desde 2020. Nos últimos dias, além de aumentar o volume de movimentos sísmicos, sua intensidade aumentou com abalos que tiveram magnitude superior a 3. A profundidade dos epicentros também diminuiu, em média, de 30 para 12 quilômetros. Só ontem foram mais de 100 tremores e um teve profundidade de apenas 4 quilômetros.


A atividade registrada desde sábado é mais intensa. O Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias, Involcán, descreveu o movimento como “uma mudança significativa” no vulcão Cumbre Vieja, ligada ao fenômeno conhecido como intrusão magmática, um processo que ocorre dentro da crosta terrestre em que o magma se aproxima da superfície. Os dados de emissão de hélio-3, que determinam a atividade magmática, têm o maior valor observado nos últimos 30 anos.


CUMBRE VIEJA É AMEAÇA PARA A COSTA DO BRASIL


Um dos cenários hipotéticos em caso de grande erupção e colapso do vulcão Cumbre Vieja é um grande tsunami que afetaria todas as áreas costeiras banhadas pelo Oceano Atlântico, o que inclui todo o litoral do Brasil, do Rio Grande do Sul ao Amapá. Por isso, pesquisadores prestam muita atenção no vulcão de Las Palmas.


Um detalhe que vale destacar é que o Oceano Atlântico não é famoso pela sua capacidade de gerar tsunamis, mas que o vulcão ativo Cumbre Vieja poderia ser o agente responsável por um evento desta natureza na região. Segundo pesquisar, a estimativa é que uma próxima erupção poderia desestabilizar a encosta da ilha e gerar um tsunami que percorreria distâncias transatlânticas e que atingiria o praticamente todos os países banhados pelo Oceano Atlântico.


A partir da modelagem de tal evento, obteve-se a informação que toda a costa brasileira será afetada. A possibilidade de ocorrência deste evento por si só deveria ser razão para a prevenção de todo os tipos de danos na costa brasileira, porém até o momento nada foi feito. A falta de informação é a principal causadora deste problema, pois inclusive no meio geológico muitas pessoas não sabem sobre tal fato. Eu mesmo, já lí alguns estudos sobre esse tema, e não encontrei nada de muito relevante. Porém, temos sim registros de um tsunami que atingiu o Brasil, no ano de 1755. Então, se já aconteceu no passado, pode sim, ocorrer novamente.


Toda a população costeira deve ser conscientizada, em especial do Norte e Nordeste do Brasil, pois seriam os principais afetados, e assim evitaríamos uma terrível tragédia. Estudos mais recentes dizem que as chances de ocorrência são remotas e longínquas, no entanto, o estabelecimento de sistemas de alarme que possibilitam a evacuação de áreas é justificável quando se trata de vidas humanas.


E agora eu quero saber a sua opinião: Você acha possível mesmo ocorrer um tsunami aqui no Brasil? Você acha que devemos nos preocupar com esse vulcão lá nas ilhas Canárias? Deixe o seu comentário, e veja o que os outros estão comentando também! A sua opinião é sempre muito importante!


Assista a um vídeo do professor Bruno Barros, explicando sobre a possibilidade da ocorrência de tsunamis no Brasil.


Curso de Geografia com aulas sobre geologia e a formação de tsunamis, https://tudosobregeografia.kebook.vip/



109 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page