top of page

Desenrola: Renegociação de dívidas começa hoje

Saiba mais sobre o programa Desenrola, criado pelo governo para a renegociação de dívidas da faixa 2. Descubra as novidades e regras para aderir ao programa. Tire suas dúvidas sobre o Desenrola e como ele pode ajudar a limpar o nome e retomar o potencial de consumo.

Várias notas de dinheiro espalhadas.
Programa desenrola do governo federal começa hoje

O programa "Desenrola", desenvolvido pelo governo federal para a renegociação de dívidas, começa a valer nesta segunda-feira (17). O objetivo do programa é atender pessoas endividadas com bancos e renda mensal de até R$ 20 mil, abrangendo a faixa 2. A iniciativa visa tirar os indivíduos da lista de negativados, permitindo que retomem o potencial de consumo.


No contexto econômico atual, em que muitas famílias enfrentam dificuldades financeiras devido à pandemia e outros desafios, o programa Desenrola surge como uma oportunidade de alívio para aqueles que estão com dívidas em instituições financeiras. Ao possibilitar a renegociação de débitos, o governo busca não apenas ajudar os cidadãos a regularizarem sua situação, mas também impulsionar a economia por meio do aumento do poder de compra da população.


Com a implementação do programa, espera-se que cerca de 70 milhões de pessoas sejam beneficiadas, trazendo alívio financeiro e uma chance de recomeço para milhões de brasileiros. Além disso, ao proporcionar condições mais favoráveis de pagamento, como taxas de juros reduzidas e parcelas acessíveis, o Desenrola incentiva a educação financeira e promove a conscientização sobre a importância do planejamento econômico pessoal. Dessa forma, a iniciativa visa criar um ambiente mais saudável e sustentável para as finanças dos indivíduos e do país como um todo.

Abaixo você vai saber todos os detalhes de como o programa desenrola funcionará.





Confira algumas perguntas e respostas sobre o programa Desenrola:


O que é o Desenrola?


O Desenrola é um programa criado pelo governo federal para promover a renegociação de dívidas de pessoas físicas. Seu objetivo principal é retirar os indivíduos da lista de negativados e restabelecer o poder de compra da população.


O programa Desenrola representa uma oportunidade única para aqueles que estão enfrentando dificuldades financeiras decorrentes de dívidas acumuladas. Com a renegociação facilitada, os cidadãos têm a chance de reorganizar suas finanças e recuperar sua saúde econômica. Além disso, ao sair da lista de negativados, abre-se um leque de possibilidades, como a retomada do acesso ao crédito, a realização de novos investimentos e a reconstrução de uma vida financeira estável.


Ao possibilitar a renegociação de dívidas, o Desenrola não apenas beneficia os indivíduos, mas também promove um efeito positivo na economia como um todo. Com uma população mais saudável financeiramente, há um aumento no consumo, impulsionando setores diversos e gerando um impacto positivo na geração de empregos e no crescimento econômico. O programa, portanto, tem um papel essencial na busca pela recuperação econômica do país, proporcionando um caminho para que os cidadãos superem suas dificuldades e voltem a contribuir ativamente para o desenvolvimento do Brasil.


Qual a novidade sobre o Desenrola?


O programa começa a operar nesta segunda-feira (17), inicialmente atendendo a faixa 2, composta por pessoas com renda mensal de até R$ 20 mil. Além disso, os principais bancos do país começarão a limpar o nome de correntistas com dívidas inferiores a R$ 100, como pré-requisito para participar do programa.


Uma das novidades mais aguardadas é o início das operações do programa nesta segunda-feira (17), priorizando a faixa 2, composta por pessoas com renda mensal de até R$ 20 mil. Essa medida visa atender uma parcela significativa da população que está endividada e busca uma oportunidade para reorganizar suas finanças e voltar a ter uma vida econômica saudável.


Além disso, como um pré-requisito para participar do programa, os principais bancos do país estão comprometidos em limpar o nome de até 1,5 milhão de correntistas que possuem dívidas inferiores a R$ 100. Essa iniciativa visa permitir que essas pessoas tenham a chance de começar do zero, sem a presença de dívidas em seu histórico financeiro, proporcionando a elas a possibilidade de reconstruir sua reputação e retomar sua estabilidade financeira de forma mais rápida e eficaz.


Abaixo você vai descobrir como funciona a faixa 1 do programa desenrola.





O que é a faixa 1 do Desenrola?


A faixa 1 do programa Desenrola abrange a população com renda de até R$ 2.640 ou que está inscrita no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal. Nessa faixa, serão renegociadas dívidas financeiras e não financeiras de até R$ 5 mil, realizadas entre 1º de janeiro de 2019 e 31 de dezembro de 2022.



A faixa 1 do programa Desenrola tem como objetivo atender a parcela da população com renda de até R$ 2.640 ou que está inscrita no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal. Nessa faixa, serão contempladas a renegociação de dívidas financeiras e não financeiras de até R$ 5 mil, que foram contraídas no período entre 1º de janeiro de 2019 e 31 de dezembro de 2022.


É importante destacar que a faixa 1, embora ainda não esteja operando, representa uma importante etapa do programa Desenrola. Com previsão para iniciar suas atividades em setembro, essa faixa oferecerá oportunidades de renegociação para aqueles que se enquadram nos critérios estabelecidos, buscando aliviar o peso das dívidas e oferecer caminhos para uma reestruturação financeira mais sólida e sustentável.


Quais são as regras para a faixa 1?


As instituições financeiras devem se habilitar na plataforma digital do programa para iniciar as renegociações da faixa 1. Um leilão será realizado em agosto para definir quais credores serão contemplados, com prioridade para aqueles que oferecerem maiores descontos. Vale ressaltar que a faixa 1 entrará em operação a partir de setembro.


Em relação à faixa 1 do programa Desenrola, as regras estabelecem que as instituições financeiras devem se habilitar na plataforma digital do programa para dar início às renegociações. Um leilão está previsto para o mês de agosto, com o objetivo de definir quais credores serão contemplados. Nesse leilão, será dada prioridade aos que oferecerem maiores descontos, visando proporcionar condições mais favoráveis aos devedores. É importante ressaltar que a faixa 1 do programa entrará em operação a partir de setembro, abrindo oportunidades para a renegociação de dívidas e a busca por uma nova estabilidade financeira.


Essas medidas adotadas pelo programa Desenrola visam oferecer soluções efetivas para os devedores, permitindo que eles possam reorganizar suas finanças de forma mais acessível e adequada às suas condições. Com a participação das instituições financeiras e a definição das regras de prioridade, o programa busca facilitar o processo de renegociação e estabelecer uma base sólida para a recuperação financeira dos indivíduos envolvidos.


O que é a faixa 2 do Desenrola?


A faixa 2 do programa Desenrola tem como foco a renegociação de dívidas financeiras de pessoas físicas negativadas até 31 de dezembro de 2022, com renda de até R$ 20 mil.


O programa Desenrola estabelece a faixa 2 como uma importante abordagem para a renegociação de dívidas financeiras de pessoas físicas que se encontram negativadas até 31 de dezembro de 2022. Essa faixa visa auxiliar indivíduos com renda de até R$ 20 mil, proporcionando uma oportunidade para que eles possam resolver suas pendências financeiras de forma acessível e eficiente. Por meio do Desenrola, os devedores têm a possibilidade de reestruturar suas dívidas e estabelecer novos acordos que se adequem às suas condições financeiras atuais.


Na faixa 2 do programa Desenrola, são contempladas dívidas financeiras que foram acumuladas até a data limite estabelecida. Essa iniciativa visa atender pessoas físicas que estão enfrentando dificuldades financeiras e se encontram com restrições no histórico de crédito. Ao fornecer a oportunidade de renegociação, o Desenrola busca proporcionar um caminho para que esses indivíduos possam regularizar sua situação financeira, retomar o controle de suas finanças e, consequentemente, reconstruir seu histórico de crédito de forma positiva. A faixa 2 é mais um recurso oferecido pelo programa para ajudar a resolver as dificuldades financeiras e promover a recuperação econômica dos cidadãos brasileiros.


Quais são as regras para a faixa 2?


Na faixa 2, não é necessário se inscrever nos canais digitais do governo para receber atendimento. Os bancos oferecerão diretamente aos seus clientes as condições de renegociação das dívidas. Nessa faixa, o governo não oferece garantia do Tesouro em caso de inadimplência.


Na faixa 2 do programa Desenrola, não é exigido que os indivíduos se inscrevam nos canais digitais do governo para receber atendimento. Os próprios bancos serão responsáveis por oferecer diretamente aos seus clientes as condições e opções de renegociação das dívidas. Dessa forma, os devedores terão a comodidade de tratar diretamente com suas instituições financeiras, agilizando o processo de renegociação.


Além disso, é importante mencionar que, na faixa 2, o governo não disponibiliza garantia do Tesouro Nacional em caso de inadimplência. Portanto, cabe aos bancos e aos clientes estabelecerem acordos e condições que sejam mutuamente satisfatórios para a renegociação das dívidas pendentes. É fundamental que os devedores compreendam as condições propostas pelas instituições financeiras e avaliem cuidadosamente antes de prosseguir com a renegociação.


Abaixo você vai descobrir se as dívidas de R$ 100 serão perdoadas.





Dívidas de R$ 100 serão perdoadas?


Dívidas de até R$ 100 não serão perdoadas, porém os bancos se comprometem a não usar essas dívidas para inserir os correntistas no cadastro negativo. Isso significa que, se a pessoa não tiver outras dívidas registradas no cadastro negativo, terá seu "nome limpo" e poderá retomar suas atividades de consumo.


Dívidas de R$ 100 não serão perdoadas, mas os bancos assumiram o compromisso de não utilizar essas dívidas para inserir os correntistas no cadastro negativo. Isso implica que, caso a pessoa não possua outras dívidas registradas no cadastro negativo, ela terá sua situação regularizada e poderá retomar suas atividades de consumo, como realizar compras a prazo, contrair empréstimos ou firmar contratos de aluguel, por exemplo.


É importante ressaltar que essa medida se aplica apenas a bancos e instituições financeiras com volume de captações superior a R$ 30 bilhões. Portanto, empresas varejistas e prestadoras de serviços, como companhias de água e luz, não serão abrangidas por essa exigência do governo. O prazo estabelecido para a conclusão da retirada dos negativados é até o dia 28 de julho.


E se houver inadimplência?


Na faixa 1, o governo garantirá eventuais inadimplências através de um fundo garantidor. A União será responsável pelo valor principal da dívida, enquanto os bancos arcarão com os riscos dos juros. Já na faixa 2, não há garantia do Tesouro em caso de inadimplência.


No caso da faixa 1 do programa Desenrola, o governo garantirá eventuais inadimplências por meio de um fundo garantidor. Nesse caso, a União assumirá a responsabilidade pelo valor principal da dívida, enquanto os bancos serão responsáveis por lidar com os riscos dos juros decorrentes desses financiamentos.


Por outro lado, na faixa 2 do programa, não há garantia do Tesouro Nacional em caso de inadimplência. Nessa modalidade, o governo não assume a responsabilidade pelo pagamento da dívida em caso de não pagamento por parte do devedor. Portanto, é essencial que os indivíduos beneficiados pela faixa 2 honrem seus compromissos financeiros para evitar problemas futuros.


E se meu banco não tiver aderido ao Desenrola?


Caso seu banco não esteja cadastrado no programa Desenrola, sugere-se que você negocie suas dívidas diretamente com a instituição ou faça a portabilidade para outra instituição financeira.


Caso o seu banco não esteja cadastrado no programa Desenrola, não desanime. Existem alternativas disponíveis para você. Uma opção é entrar em contato diretamente com o seu banco e expressar o seu interesse em renegociar suas dívidas, mesmo que ele não esteja participando oficialmente do programa. Muitas instituições financeiras estão abertas a negociações e podem oferecer condições favoráveis para ajudá-lo a resolver sua situação financeira.


Outra opção é buscar a portabilidade da dívida para outra instituição financeira que esteja participando do programa Desenrola. A portabilidade permite transferir sua dívida para outra instituição que ofereça condições mais favoráveis, como taxas de juros mais baixas ou prazos de pagamento mais flexíveis. Verifique as opções disponíveis no mercado e compare as ofertas para encontrar a melhor solução para você.


Terei direito a crédito imediatamente?


Não. Para obter crédito, é necessário que o cidadão atualize seus dados junto ao banco após a renegociação das dívidas. O banco analisará a documentação e decidirá se concederá o crédito. No entanto, ter o nome livre de dívidas registradas no cadastro negativo aumenta as chances de obtenção de crédito.


Abaixo você descobrir como sair do endividamento.




Como sair do endividamento?


Sair do endividamento financeiro pode ser um desafio, mas com determinação e planejamento é possível alcançar a tão almejada estabilidade financeira. Aqui estão dez passos que podem ajudar nesse processo:


Faça um diagnóstico da situação: Comece analisando suas dívidas, identificando o valor total devido, as taxas de juros, prazos de pagamento e a sua capacidade financeira atual.


Crie um orçamento realista: Elabore um planejamento financeiro detalhado, listando todas as suas despesas e receitas. Priorize os gastos essenciais e corte ou reduza os supérfluos para direcionar mais recursos para o pagamento das dívidas.


Negocie com os credores: Entre em contato com seus credores para negociar condições mais favoráveis, como redução de juros, aumento do prazo de pagamento ou até mesmo um desconto para quitação da dívida.


Considere a consolidação de dívidas: Se tiver várias dívidas com diferentes credores, avalie a possibilidade de consolidá-las em um único empréstimo com melhores condições. Isso facilitará o controle e o pagamento das dívidas.


Evite contrair novas dívidas: Durante o processo de sair do endividamento, evite contrair novas dívidas. Seja disciplinado e mantenha o foco no pagamento das dívidas existentes.


Busque fontes adicionais de renda: Considere a possibilidade de aumentar sua renda através de trabalhos extras, freelancers ou até mesmo empreendimentos. Os recursos adicionais podem acelerar o processo de pagamento das dívidas.


Priorize as dívidas de maior custo: Foque primeiro nas dívidas com taxas de juros mais altas, pois são as que consomem mais recursos financeiros. Concentre seus esforços em liquidar essas dívidas o mais rápido possível.


Estabeleça metas de curto e longo prazo: Defina metas realistas para acompanhar seu progresso e se manter motivado. Estabeleça metas de curto prazo, como pagar uma determinada dívida em um prazo específico, e metas de longo prazo, como se tornar livre de dívidas em um determinado período.


Busque educação financeira: Invista tempo em aprender sobre finanças pessoais, gerenciamento de dívidas e planejamento financeiro. Existem livros, cursos online e conteúdos gratuitos disponíveis que podem te auxiliar nessa jornada.


Celebre as conquistas: À medida que você for pagando suas dívidas, celebre cada conquista alcançada. Isso irá reforçar sua motivação e manter seu compromisso com o processo de sair do endividamento.


Lembre-se de que sair do endividamento financeiro requer paciência, disciplina e comprometimento. Cada passo dado na direção certa o aproxima da liberdade financeira. Mantenha o foco, seja resiliente e busque o suporte necessário para superar esse desafio.





37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page