top of page

Metaverso - O que é? Como funciona o Metaverso?

Um termo que vem se popularizando é o Metaverso. Nesta postagem, você vai ficar sabendo tudo sobre o Metaverso.


Nesta postagem você vai entender como funcionará o metaverso. Vou explicar como você pode ganhar dinheiro a partir das oportunidades criadas com a chegada do metaverso. E no final da postagem, você vai encontrar algumas questões anteriores do Enem, que tem alguma relação com o metaverso.


O que é metaverso?


Podemos definir o metaverso como uma rede de mundos virtuais, que tenta replicar a realidade, com o objetivo de intensificar as interações sociais. Atualmente, Mark Zuckerberg, CEO da Meta, propôs o desenvolvimento do metaverso, do ponto de vista de entusiastas da tecnologia, esse é o futuro da internet e que nós estaremos interagindo dentro desse universo em breve. A partir do conceito de metaverso, a ideia é que as fronteiras entre o físico e o virtual sejam cada vez mais dissolvidas e nossos avatares (personagem criado digitalmente para representar indivíduos reais) se tornem uma extensão do nosso corpo.


Como funciona o metaverso?


As principais tecnologias utilizadas no metaverso serão as de realidade virtual e aumentada para proporcionar a imersão do usuário. Para acessar o metaverso, o usuário poderá utilizar acessórios como óculos e manoplas, que são conectados a computadores ou smartphones.


Para alguns, outras formas de imersão virtual também podem ser consideradas como fazendo parte do metaverso, experiências realizadas por meio de telas comuns, mas que incluem a parte social. Neste caso, podemos citar o caso de mundos virtuais como os jogos Fortnite e Roblox, por exemplo, que podem ser acessados ​​por meio de computadores, consoles e smartphones.


Para entender como funciona o metaverso, podemos pensar na seguinte situação: o metaverso funcionando como uma cidade virtual. Você liga seus óculos de realidade virtual e seu avatar acessa esta cidade virtual. Lá, você pode consumir produtos e serviços totalmente virtuais, você pode participar de eventos como shows, teatro, cinema, entre outros. Não existe um dono do metaverso e o que você compra em uma loja você consegue usar em todos os ambientes desta cidade.


Uma possibilidade, seria integrar várias tecnologias que vemos separadas hoje, como: assistente de voz, inteligência artificial, realidades virtual e aumentada, robótica e a Web 3.0.


Existe um consenso entre os especialistas em tecnologia: para que o metaverso imaginado por Zuckerberg se torne realidade, será preciso o aprimoramento de diversas tecnologias, ferramentas e equipamentos que existem hoje. Pode levar alguns anos para que isso de fato venha ocorrer.

Como entrar no metaverso?


Para acessar o metaverso é necessário equipamentos específicos e conexão com a internet. Podemos citar óculos e manoplas de realidade virtual. Os preços podem variar dependendo da tecnologia utilizada e ficando em entre 50 e 1400 reais.


O próximo passo é escolher qual “universo” ou ambiente virtual será acessado. As plataformas mais procuradas atualmente são: Decentraland, Axie Infinity, Horizon, Mesh, Sandbox, Fortnite e Roblox. Estas plataformas oferecem uma variedade de experiências, desde jogos a espaços de trabalho virtuais, passando por entretenimento ao vivo.


Como investir no metaverso?


As negociações no metaverso acontecem por meio de criptomoedas e NFTs (tokens não fungíveis). Como tudo dentro do conceito de metaverso é novo, muitos investidores acreditam que no futuro, quando o metaverso se popularizar, ocorra uma valorização dos produtos e serviços comercializados dentro dele. Podemos citar como exemplo, terrenos virtuais e itens colecionáveis.


Uma outra forma de investir no metaverso é por adquirir ações de empresas que o estão desenvolvendo. Empresas como Meta, Microsoft, Roblox e Epic Games, que têm capital aberto na bolsa e vêm investindo no desenvolvimento do metaverso. Caso o metaverso se popularize, a tendência é de valorização dessas empresas.


Para você entender melhor como ganhar dinheiro trabalhando no metaverso, assista ao vídeo abaixo da Elisa Miranda.




Quais são as vantagens do metaverso?


A principal vantagem do metaverso é você conseguir participar de diversas atividades de forma remota. Um exemplo nos ajuda a entender a praticidade do metaverso: você não precisa ir até um supermercado físico, para ter uma experiência imersiva de compras. Utilizando óculos de realidade virtual, você poderá colocar tudo no seu carrinho de uma maneira mais dinâmica do que é hoje em dia e ter o pedido entregue na sua casa pela loja.


Uma outra vantagem do metaverso são as interações sociais imersivas e remotas. O usuário dentro do metaverso terá a possibilidade de assistir a eventos como shows, filmes, partidas de futebol, junto com outros avatares (avatares de pessoas reais) sem sair de casa.


Metaverso no Brasil: quais são os desafios para o metaverso se popularizar por aqui?


São muitos os desafios para popularizar o metaverso no Brasil. Entre eles podemos citar:


  • Alto preço dos equipamentos de informática e tecnologias imersivas.

  • Acesso à infraestrutura de redes de conexão de internet ultrarrápidas e baixa latência.

  • Regiões que ainda não estão conectadas a nenhum tipo de internet.

  • Acesso facilitado aos NFTs criptomoedas (moedas utilizadas dentro do metaverso).


Metaverso é perigoso?


Ainda não podemos considerar o metaverso como sendo um ambiente perigoso, pelo menos nesta fase de desenvolvimento que está hoje. Na verdade, atualmente, ele chega a ser mais seguro do que a internet. Ainda assim, existem os perigos normais, como golpes e dados roubados.


Porém, à medida que o metaverso se tornar mais complexo e popular a tendência é aumentar os desafios de manter a segurança de seus bens e arquivos e também sua privacidade protegida.


QUESTÕES


1. (Enem 2021) Thumbs Up


Ponto positivo para o Facebook, que vai dar uma ajeitada na casa para, quem sabe, não ser mais conhecido como espaço da treta. Durante a F8, sua conferência anual, a empresa anunciou a maior mudança de design do serviço em 5 anos. Agora, o polêmico feed de notícias deixa de ser o protagonista, e o queridinho da rede social se torna o segmento de Grupos (é o Orkut fazendo escola?). Segundo Mark Zuckerberg, mais de 1 bilhão de usuários mensais entraram nessa aba do aplicativo, e 400 mil deles já estão integrados em grupos de “assuntos significativos”. O objetivo agora é aumentar o tráfego, oferecendo mais sugestões e ferramentas especiais para quem gerencia essas comunidades. Além disso, o Marketplace, que já tem mais de 800 milhões de usuários, vai ganhar mais atenção e integração. Com isso, parece que há um novo padrão se montando na rede social: sai o feed, entra a segmentação, que pode ser uma boa porta para monetização nos próximos anos. No mesmo evento, Zuckerberg também disse que o futuro do Facebook é a privacidade, mas não deu muitos detalhes de como vai proteger seus clientes daqui para frente. Evitar que vazamentos de dados dos usuários aconteçam é um bom começo.



Disponível em: https://thebrief.us16.list-manage.com. Acesso em: 3 maio 2019 (adaptado).


O texto relata que uma rede social virtual realizará sua maior mudança de design dos últimos anos. Esse fato revela que as tecnologias de informação e comunicação


A) buscam oferecer mais privacidade.

B) assimilam os comportamentos dos usuários.

C) promovem maior interação em ambientes virtuais.

D) oferecem mais facilidades para obter cada vez mais lucro.

E) evoluem para ficar mais parecidas umas com as outras.


Gabarito: B


Comentário: A mudança do design do Facebook que visará ao investimento em Grupos ocorre devido ao comportamento dos usuários. Podemos relacionar essa questão com o metaverso, pois o próprio metaverso será baseado no comportamento e interações sociais dos usuários.


2. (Enem Digital 2020) Indústria cultural da felicidade


Tornou-se perigoso o emprego da palavra felicidade desde seu mau uso pela propaganda. Os que se negam a usá-la acreditam liberar os demais dos desvios das falsas necessidades, das bugigangas que se podem comprar em shoppings grã-finos ou em camelôs na beira da calçada, que, juntos, sustentam a indústria cultural da felicidade à qual foi reduzido o que, antes, era o ideal ético de uma vida justa. Infelicidade poderia ser o nome próprio desse novo estado da alma humana que se perdeu de si ao perder-se do sentido do que está a fazer. Desespero é um termo ainda mais agudo quando se trata da perda do sentido das ações pela perda da capacidade de reflexão sobre o que se faz. A felicidade publicitária está ao alcance dos dedos e não promete um depois. Resulta disso a massa de “desesperados” trafegando como zumbis nos shoppings e nas farmácias do país em busca de alento.


TIBURI, M. Disponível em: http://revistacult.uol.com.br. Acesso em: 12 nov. 2014 (adaptado).


Ao reprovar a ação da indústria da felicidade e um comportamento humano, o texto associa a


A) Ansiedade recorrente ao lançamento de novidades no mercado.

B) Visita frequente ao shopping à resolução de problemas cotidianos.

C) Atitude impensada ao atendimento de necessidades emergenciais.

D) Postura consumista à crença na promessa ilusória de anúncios publicitários.

E) Vantagem econômica à venda de produtos falsificados no mercado ambulante.

Gabarito: D


Comentário: O texto apresentado analisa o papel da propaganda e da publicidade no incentivo das pessoas ao consumo desenfreado, utilizando, para alcançar esse objetivo, a associação do consumo à felicidade. Que também tem relação com o desenvolvimento do metaverso. Que explora o poder da propaganda e publicidade, e o desejo das pessoas de consumir. Essa relação pode ser evidenciada na passagem final do texto, em que o autor afirma: “a felicidade publicitária está ao alcance dos dedos e não promete um depois. Resulta disso a massa de ‘desesperados’ trafegando como zumbis nos shoppings e nas farmácias do país em busca de alento”. Algo semelhante é verificado no ambiente virtual nas redes sociais.


3. (Enem PPL 2020) Os smartphones estão sugando a sua produtividade. Você abriria mão deles?


Telefones inteligentes drenam nossa atenção mesmo quando desligados. E isso não é nada bom para a sua carreira. Pesquisadores e empresas tentam achar uma solução para o problema.


Funcionários estão distraídos com seus smartphones, browsers web, aplicativos de mensagem, sites de compras e muitas redes sociais.


Os trabalhadores distraídos são improdutivos. Uma pesquisa da CareerBuilder descobriu que os gerentes de contratação acreditam que os funcionários são extremamente improdutivos e mais da metade desses gerentes acreditam que os smartphones são culpados.


Alguns empregadores disseram que os smartphones degradam a qualidade do trabalho, diminuem a moral, interferem no relacionamento entre chefe e empregado e fazem com que os funcionários percam os prazos. (Os funcionários entrevistados discordaram e apenas 10% disseram que os telefones prejudicam a produtividade durante o horário de trabalho.)


A única solução é uma combinação entre treinamento, educação e melhor gerenciamento.


Os departamentos de RH devem procurar um problema maior: a distração extrema do smartphone pode significar que os funcionários estão completamente desativados do trabalho. Os motivos para isso devem ser identificados e abordados. A pior “solução” é a negação.

ELGAN, M. Disponível em: http://idgnow.com.br. Acesso em: 24 ago. 2017 (adaptado)


Ao expor um problema contemporâneo do mercado de trabalho e apontar uma solução, o texto evidencia a


A) Relação entre as carreiras e as tecnologias de informação e comunicação.

B) Discordância entre empregadores e funcionários no que diz respeito à produção.

C) Negatividade do impacto das tecnologias de informação e comunicação no mercado de trabalho.

D) Desvinculação entre o desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação e a produtividade no trabalho.

E) Necessidade de uma compreensão ampla e cuidadosa do impacto das tecnologias de informação e comunicação no mercado de trabalho.


Gabarito: E


Comentário: A questão aborda o problema do uso irrestrito das redes sociais e tecnologias em nosso cotidiano. O uso irrestrito de tais tecnologias pode interferir na saúde, nas atividades diárias (como estudar e trabalhar), e também nas interações dentro do círculo de amigos (reais) e familiares. A questão tem relação com o metaverso, pois tal ambiente virtual será uma ampliação do mundo virtual atual.


Não acabou ainda!


Para você se potencializar os seus estudos em Geografia, preparei um Guia Online de Geografia, com todos os macetes e dicas para você manda bem no Enem e em concursos públicos. Para baixar o seu totalmente grátis clique no link a seguir: http://490d30f.contato.site/01-guia-geografia-online-ebook



107 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commenti


bottom of page